Esquizofrenia não tem cura? Porquê? Entenda

esquizofrenia não tem cura

Esquizofrenia não tem cura? Porquê? Entenda

Esquizofrenia não tem cura, mas tem tratamento. Já que é um transtorno complexo que altera profundamente a percepção de realidade de quem sofre com ele, trazendo desafios tanto para o indivíduo quanto para suas famílias. 

Imagine acordar um dia e não conseguir discernir o que é real das ilusões criadas pela sua mente.

As vozes e visões inexistentes, as crenças distorcidas e um emaranhado de pensamentos que não conseguem se alinhar.

Esquizofrenia não tem cura, mas tem tratamento. Este é um transtorno complexo que altera profundamente a percepção de realidade de quem sofre com ele, trazendo desafios tanto para o indivíduo quanto para suas famílias.

Imagine acordar um dia e não conseguir discernir o que é real das ilusões criadas pela sua mente. 

As vozes e visões inexistentes, as crenças distorcidas e um emaranhado de pensamentos que não conseguem se alinhar.

Essa é a realidade diária de muitos que vivem com esquizofrenia, enfrentando não apenas os sintomas, mas também o estigma e o isolamento.

No entanto, há esperança. Com um diagnóstico preciso e uma abordagem integrada de tratamento, incluindo medicação antipsicótica e terapia psicossocial, pessoas com esquizofrenia podem alcançar uma qualidade de vida significativamente melhorada.

A terapia ajuda no manejo dos sintomas e na reconstrução de uma vida social e profissional ativa.

O apoio familiar é também crucial, oferecendo um ambiente compreensivo e adaptado às necessidades do paciente.

Por isso, continue a leitura e descubra tudo sobre o porquê, apesar da esquizofrenia não ter cura, tem tratamento que pode ajudar uma pessoa a viver bem.

Esta informação pode transformar vidas, proporcionando não apenas suporte, mas também esperança e compreensão a quem mais 

O que é esquizofrenia?

A esquizofrenia é um transtorno mental que afeta a forma como uma pessoa pensa, sente e se comporta. 

Normalmente, pessoas com esquizofrenia podem ter dificuldade em distinguir entre o que é real e o que não é.

Resultando em alucinações (ver ou ouvir coisas que não estão lá), delírios (crenças firmes em coisas que não são verdadeiras) e pensamento extremamente desorganizado.

Esses delírios, infelizmente, podem fazer com que se comportem de maneira estranha ou fora do comum.

A esquizofrenia não é tão comum quanto outros transtornos mentais, mas os seus efeitos podem ser muito intensos e dolorosos para família.

Além disso, é importante entender que a esquizofrenia não tem cura mas, tem tratamento.

Este inclui medicação e terapia para ajudar a gerenciar os sintomas e melhorar a qualidade de vida da pessoa.

Com isso, oCID da esquizofrenia, de acordo com a Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde, é F20

Esse código é usado para identificar a esquizofrenia em diagnósticos médicos e registros de saúde.

Por que a esquizofrenia não tem cura?

A esquizofrenia não tem cura principalmente porque é uma doença complexa que envolve uma combinação de fatores genéticos, biológicos e ambientais.

Genética

A probabilidade de desenvolver esquizofrenia é maior em pessoas que têm familiares com a doença, indicando um forte componente genético.

Desenvolvimento cerebral

Anormalidades no desenvolvimento do cérebro, seja durante a gestação ou na infância, podem aumentar a vulnerabilidade à esquizofrenia.

Fatores neuroquímicos

Problemas com neurotransmissores, que são substâncias químicas do cérebro que ajudam na comunicação entre as células nervosas, especialmente a dopamina e o glutamato, são pensados para estar ligados aos sintomas da esquizofrenia.

Fatores ambientais

Experiências como traumas ou exposição a toxinas também podem influenciar o desenvolvimento ou agravar os sintomas da esquizofrenia em pessoas que já são predispostas.

A pessoa já nasce com esquizofrenia? 

Não, a pessoa não nasce com esquizofrenia já manifestada, mas nasce com uma predisposição genética que pode levar ao desenvolvimento da doença ao longo da vida.

A esquizofrenia geralmente começa a se manifestar no final da adolescência ou início da idade adulta, entre 20 e 30 anos.

Além do mais, em decorrência de fatores como alterações biológicas e ambientais também desempenham um papel importante em seu desenvolvimento.

Ao mesmo tempo, ter um histórico familiar de esquizofrenia aumenta o risco de desenvolver a doença, mas não é uma garantia de que a pessoa terá esquizofrenia.

Também existem tratamentos eficazes que podem ajudar a controlar os sintomas e permitir uma vida plena e produtiva.

Quem explica melhor essa questão é a Dra. Milene de Mello, já que, na perspectiva atual da psiquiatria, a pessoa nasce com o potencial genético para desenvolver esquizofrenia, mas para que a doença se manifeste, é necessário um fator desencadeante. 

Um exemplo de desencadeante é o uso de substâncias como a maconha, que, embora não cause diretamente a esquizofrenia, pode precipitar seu surgimento em indivíduos predispostos. 

Além disso, é importante esclarecer que a esquizofrenia não é causada por vivências específicas ou formas de educação.

Esquizofrenia não tem cura: descubra os sintomas!

Esquizofrenia não tem cura, mas tem sintomas que aparecem em diferentes fases da vida. Os sintomas da esquizofrenia são geralmente categorizados em três tipos principais:

Sintomas positivos da esquizofrenia

Incluem alucinações (ouvir vozes ou ver coisas que não estão presentes), delírios (crenças falsas e firmes), pensamento desorganizado e comportamentos anormais.

Estes são os sintomas que “adicionam” comportamentos ou experiências à vida da pessoa.

Sintomas negativos  da esquizofrenia

Referem-se à diminuição ou perda de capacidades e comportamentos normais, como a falta de motivação, retirada social, aplanamento afetivo (redução da expressão emocional) e dificuldade em iniciar atividades.

Sintomas cognitivos  da esquizofrenia

Estes incluem problemas com a atenção, dificuldades em organizar pensamentos e dificuldades com a memória de trabalho.

Esses sintomas afetam a capacidade da pessoa de processar informações e tomar decisões.

Esquizofrenia não tem cura, mas tem tratamento!

Esquizofrenia não tem cura, mas tem tratamento que pode melhorar a qualidade de vida do paciente. 

Assim, o tratamento da esquizofrenia envolve um processo cuidadoso desde o diagnóstico até a gestão contínua dos sintomas. 

Primeiramente, o diagnóstico é geralmente feito com base em uma avaliação clínica detalhada, que inclui a história médica e psiquiátrica do paciente. 

Depois do médico identificar, ele fal o laudo através do CID F20, conforme estabelecido pela Organização Mundial da Saúde.

Quanto ao tratamento, este é tipicamente multifacetado, incluindo:

Medicação antipsicótica: Medicamentos, principalmente antipsicóticos, são usados para controlar os sintomas como delírios e alucinações. Estes medicamentos ajudam a regular desequilíbrios neuroquímicos no cérebro.

Terapia psicossocial: Intervenções como terapia cognitivo-comportamental (TCC) são cruciais para ajudar a gerenciar e entender os sintomas. A terapia pode também incluir treinamento de habilidades sociais e de vida para auxiliar na reintegração social e profissional.

Apoio familiar e educação: Informar e envolver as famílias no tratamento pode melhorar os resultados, pois facilita ambientes de suporte mais eficazes.

Gerenciamento de crises e hospitalização: Em casos de crise aguda, pode ser necessária hospitalização para garantir a segurança do paciente e a estabilização dos sintomas.

Tratamento de comorbidades: Frequentemente, outras condições psiquiátricas coexistem com a esquizofrenia, como depressão e ansiedade, que também precisam ser tratadas.

Cada plano de tratamento é personalizado para atender às necessidades individuais do paciente, focando em reduzir os sintomas e melhorar a qualidade de vida. A combinação destas abordagens tende a ser a mais eficaz no manejo da esquizofrenia.

Medicamentos que podem ajudar na esquizofrenia

 Os antipsicóticos são a classe de medicamentos mais comum no tratamento da esquizofrenia. Eles ajudam a controlar sintomas como alucinações, delírios e desorganização do pensamento. Exemplos de antipsicóticos incluem:

  • haloperidol;
  • risperidona;
  • olanzapina;
  • quetiapina;
  • aripiprazol;

Acompanhamento psicoterapêutico

A terapia psicológica é essencial para ajudar os pacientes a lidar com os desafios cotidianos da doença, melhorar habilidades sociais e de comunicação, e gerenciar sintomas.

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é particularmente útil para modificar pensamentos e comportamentos problemáticos associados à esquizofrenia.

Acompanhamento psiquiátrico

Visitas regulares a um psiquiatra são importantes para monitorar o progresso do paciente, ajustar medicações e discutir qualquer preocupação em relação ao tratamento.

O psiquiatra pode também ajudar na gestão de efeitos colaterais de medicamentos e na prevenção de recaídas.

Internação em clínicas de recuperação

Em casos mais graves, onde os pacientes podem representar um risco para si mesmos ou para outros, ou quando estão significativamente incapacitados, a internação pode ser necessária.

Isso proporciona um ambiente controlado e seguro, com acesso imediato a cuidados médicos e terapia intensiva.

Esquizofrenia não tem cura mas tem tratamento no Rezende

Esquizofrenia não tem cura, mas tem tratamento certo aqui na Clínica Rezende!

Por isso, se você conhece alguém que sofre de esquizofrenia e que ficou assim em decorrência do uso de alguma droga, saiba que nós podemos ajudar! 

Nas clínicas Rezende, nós ajudamos o paciente a se tratar, fazendo o ajuste de medicação evitando surtos e fornecendo apoio contínuo por meio de terapias e acompanhamento psicológico personalizado. 

Nosso objetivo é oferecer uma recuperação segura e eficaz, promovendo uma reintegração saudável na sociedade. Se a sua família está enfrentando esses desafios, considere as Clínicas Rezende como sua aliada. 

Entre em contato hoje mesmo e descubra como podemos ajudar você e seu ente querido a encontrar o caminho para a recuperação.

Participe da discussão

Compare listings

Comparar

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.